10 Cuidados com o Pet em dias calor intenso

1. Hidrate seu pet!

Mantenha seu pet hidratado durante todo o dia: ofereça sempre água limpa e fresca (água gelada é ótimo). Você também pode oferecer água de coco (especialmente gelada) ou suco de frutas. Mas nunca dê suco de uva ou carambola pois são tóxicas para cachorros e gatos!

2. Cuidado com os períodos mais quentes do dia.

Nos dias de calor com o pet, evite passeios e dog walker nos horários mais quentes do dia. Não saia entre as 10hs e 15hs. E mesmo fora desses períodos, dê preferência para locais sombreados, com muitas árvores e piso de grama, que não esquenta tão rapidamente. Não passeie com seu pet se o asfalto da rua estiver quente. Lembre-se que as patas dos cachorros são muito sensíveis e poderão esquentar rapidamente.

3. Use protetor solar para pets.

Se seu pet costuma fazer passeios ou dog walker e tem pelo curto, pelagem branca ou mucosas claras, passe protetor solar no pet! Mas use protetor solar específico para pets (caso não encontre, pode usar protetor para crianças ou para peles sensíveis). Passe protetor solar especialmente nos locais do corpo com menos pelagem e mais expostos ao sol, como orelhas, focinho e ao redor dos olhos.

4. Não exagere nos exercícios nos dias de calor com o pet.

Como tudo na vida, exercícios são bons sem exageros. Tome cuidado para o pet não se exercitar demais! Faça pausas frequentes nos exercícios e brincadeiras e ofereça um pouco de água nessas pausas.

5. O pet NUNCA fica sozinho no carro.

Nunca deixe o pet sozinho no carro. Não é só nos dias de calor com o pet: não deixe-o sozinho nem por 5 minutinhos, nem com a janela aberta! NUNCA! A temperatura dentro de um carro pode subir até cinco graus em 15 minutos. E as janelas abertas não ajudam em nada. Um trabalho publicado na revista científica Pediatrics, mostrou que carros com todas as janelas quebradas apresentaram a mesma temperatura no interior, que carros com os vidros fechados. E deixar o ar condicionado ligado também não ajuda! Ele pode desligar sem você saber e pode levar à morte por inalação de gases tóxicos

6. Cuidados na praia e em parques.

Em parques ou praias (que aceitem animais de estimação), garanta que seu pet tem um local sombreado, com água fresca disponível e bastante ventilação para ficar. Caso não tenha esses requisitos, não leve seu pet e deixe-o descansando em local seguro.

7. Preste atenção aos sinais de cansaço e desconforto.

Se seu pet está ofegante, salivando muito, com dificuldades para respirar, prostrado (não quer se mover, não quer fazer nada), não quer andar, comer, beber água fique atento! Ao ver estes sinais de forma mais leve, ofereça um período de descanso na sombra com água fresca para seu pet! No caso destes sinais de forma mais grave, leve seu pet o mais rápido possível para uma clínica veterinária! Um animal excessivamente ofegante (especialmente gatos ofegantes), com dificuldades para respirar, aumento da frequência cardíaca e respiratória. Ou ainda com fraqueza muscular, salivação excessiva, muito parado ou muito agitado, vomitando, com a língua e mucosas azuladas ou acinzentadas, perda de consciência e convulsões pode estar com choque térmico, não perca tempo! Coloque sacos de gelo (especialmente nas axilas e nas região da barriga e entre as patas de trás), ligue o ar condicionado ou ventilador do carro e vá para o hospital veterinário mais próximo.

8. Cuidados extras com animais de focinho curto.

Lembre-se que animais braquicefálicos (com focinhos curtos) como cães das raças Pug, Bulldog e Shih-Tzu e gatos Persas, são mais susceptíveis a hipertermia e choque térmico. Eles precisam de cuidado extra! Limite os exercícios, faça mais pausas, ofereça mais água e líquidos, fuja do sol e do calor!

9. Cuidados extras com pets idosos, com sobrepeso, problemas cardíacos ou respiratórios.

Os pets idosos, com sobrepeso, problemas cardíacos ou respiratórios também precisam de prevenção extra: mantenha-os o máximo do tempo em locais com ventilador ou ar-condicionado. Se possível, mantenha a pelagem sempre curta durante o verão e ofereça bastante líquido. Fique muito atento aos sinais de desconforto e mudanças de comportamento e alimentação. Informe o médico veterinário de confiança caso note mudanças.

10. Dê banhos mais regulares, mas com cuidado.

Já falamos sobre dicas de como dar banho em seu cachorro em casa neste artigo. Mas lembre-se de evitar o choque térmico, molhando antes as patinhas e orelhas do seu animal de estimação. Depois espalhe cuidadosamente a água pelo corpo com suas mãos. Mas não exagere na frequência de banhos pois o excesso de sabonete ou xampu podem irritar o ressecar a pele.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.