Como Cuidar de um Filhote de Rottweiler

Os rottweilers são cães inteligentes, corajosos e amáveis que acompanham os donos com devoção. Quando criado corretamente, um filhote de rottweiler pode ser um excelente cidadão canino e um amigo leal; trata-se de uma raça trabalhosa e que não é a melhor opção para donos de primeira viagem. Com a socialização e o treinamento adequados, ele se tornará um cão feliz e confiante.

Avalie se o rottweiler é a melhor opção para você. Como as raças dos cães são bastante diferentes entre si, é importante pesquisar e descobrir qual a ideal para você e para sua casa. Os rottweilers, assim como quaisquer outras raças, têm personalidades distintas e características específicas da raça, portanto, quanto melhor você os compreender, melhor você conseguirá contornar as dificuldades. Os filhotes vão crescer bastante, tornando-se cães enormes (chegando a até 50 kg quando adultos) e leais aos donos, ainda que meio temerosos na presença de estranhos.

  • Os rottweilers precisam de orientação firme de uma pessoa que compreenda a psicologia e o comportamento canino, portanto, ajuda ser um dono de cães experiente com um bom histórico de criação. Antes de escolher um rottweiler, seja sincero quanto às suas próprias habilidades. Por conta do tamanho físico do cão, ele pode se tornar perigoso caso não obedeça.
  • Para aprender mais sobre os rottweilers, converse com donos e criadores da raça. Confira o seu seguro residencial. Algumas apólices de seguro podem ser violadas caso você adote um rottweiler ou outro cão de uma raça identificada como “potencialmente perigosa”, por mais preconceituosa que seja tal classificação. Se você mora de aluguel, é preciso entrar em contato com o proprietário antes de adotar qualquer animal.

Escolha um criador de confiança. Como existem muitos criadores por aí, é importante tirar um tempo para selecionar uma pessoa de boa reputação. Nunca compre o cão do primeiro criador que encontrar; procure um que siga todas as recomendações de saúde e bem-estar animal e que zele pela procriação de animais saudáveis e sem problemas congênitos. Para analisar o cão antes de pagar por ele, confira a conformação (aparência e características físicas) e as habilidades dele. É importante verificar se você está comprando um cão de raça pura.

  • Faça muitas perguntas para o criador, principalmente sobre a socialização do animal com a mãe e os irmãos. É muito importante que o filhote seja bem socializado e exposto a pessoas, lugares e barulhos antes de ir para a sua casa. Tais experiências ajudarão o animal a se tornar confiante e bem adaptado ao novo lar. Obviamente, prepare-se para responder às perguntas do criador sobre você e suas intenções.

Escolha o filhote. É preciso separar bastante tempo para decidir qual filhote levar para casa. Observe se a ninhada e a mãe estão saudáveis antes de mais nada. Em seguida, passe um tempo observando as personalidades individuais dos cãezinhos. O equilíbrio é ideal: evite filhotes agressivos ou tímidos (pois eles podem acabar mordendo por medo) demais. Procure por um cãozinho amigável e que brinque bastante com os companheiros de ninhada.

Vacine e vermifugue o cão. Antes de levar o filhote para casa ou expô-lo a outros cães, verifique se ele está em dia com os tratamentos de vacinação e vermifugação. O cachorro deve ser vermifugado com cerca de 30 dias de idade. As vacinas antipulgas e V8 ou V10 (múltiplas, protegendo o animal de doenças como cinomose, parvovirose, hepatite e leptospirose) devem ser administradas a partir da sexta semana de vida, seguidas por uma segunda dose na oitava semana. Depois da vacinação, você pode socializar o cão do lado de fora de casa. Lembre-se de levá-lo ao veterinário todos os anos para reforçar as vacinas

Exercite bem o cãozinho. Leve-o para passar por meia hora duas vezes ao dia. As raças grandes precisam de muitos exercícios para liberar as energias e se manterem saudáveis. Se o filhote tiver menos de seis meses, brinque ou exercite-o pelo menos quatro vezes ao dia. Conforme o cão crescer, leve-o para caminhadas mais longas.

  • Dê brinquedos que estimulem o cão e mantenham a mente dele ativa. Prevenir o tédio pode evitar que o cachorro apronte na casa. Se possível, compre brinquedos que possam ser enchidos com comidas e petiscos.

Cuide da higiene do cão. Por sorte, os rottweilers têm uma pelagem curta que facilita o processo. Escove o animal com uma escova de cerdas macias uma vez por semana para manter os pelos dele saudáveis. Durante a escovação, confira as patas dele para verificar se as unhas não estão compridas e se não há danos nas almofadinhas. Observe a região entre os dedos para tentar encontrar possíveis machucados. Se achar algo fora do comum, converse com o veterinário.

  • Não exagere nos banhos. Lavar o cão com xampu pode remover a camada protetora de óleo na pele dele. Os banhos devem ser ocasionais, e você deve sempre utilizar um xampu específico para cães.

Alimente o cachorro com uma dieta equilibrada e nutritiva. Peça para que o veterinário recomende uma ração de qualidade para o seu cão e sempre procure por uma marca que contenha carne (não subprodutos de carne) nos ingredientes. Os subprodutos podem ser servidos para o cão, mas devem estar em baixa quantidade. Dê preferência para rações formuladas para filhotes e raças grandes, pois elas têm uma proporção adequada de nutrientes para se construir o esqueleto forte e necessário para os cães grandes

Comece a socializar o cãozinho quando ele ainda for bem novo. Os filhotes crescem melhor quando interagem cedo com situações, cães e humanos diferentes. O cão deve viver cercado por outros filhotes e pela mãe até completar três semanas de vida. A partir da terceira semana, ele começará a aceitar novas experiências. Essa é uma boa hora para expô-lo ao máximo possível de situações novas e seguras: passeios de carro, brincadeiras no quintal, outros animais, humanos das mais diversas idades, etc.

  • Caso o filhote tenha sido retirado da mãe após o parto, ele pode não se adaptar muito bem e acabar sendo agressivo com outros cães.

Cuide do conforto do filhote. Observe o cão para ver como ele se sai durante a socialização, pois algumas experiências podem sobrecarregá-lo e assustá-lo. Se uma situação causar uma reação temerosa, vá com calma e apresente-o à situação gradualmente para que ele se adapte. Use o bom-senso e nunca force o cão a permanecer em uma situação que o assuste. Distraia-o com um brinquedo ou um petisco para relaxá-lo.

  • Quando o cão tiver mais de 12 semanas de vida, ele começará a ter mais cautela. Trata-se de um desenvolvimento normal que ajuda o filhote a ter uma noção melhor por conta própria.

10º Dicas:

  • Não tente fazer o cão crescer além do natural nem acelerar tal crescimento. O excesso de peso não vai torná-lo um cachorro maior e mais forte. Na verdade, ao alimentá-lo excessivamente, você pode causar problemas cardíacos e danos nas articulações, entre outros problemas.
  • Sempre alimente o filhote com ração premium específica para filhotes de raças grandes.
  • Os filhotes se desenvolvem melhor seguindo uma rotina. Tente manter um cronograma para alimentá-lo, levá-lo para fazer as necessidades, exercitá-lo e treiná-lo.
  • Nunca encoraje o cão a proteger você nem tente torná-lo menos amigável para os visitantes. Os rottweilers são guardiões intuitivos; confie que ele o protegerá caso haja necessidade. Promover a agressividade fará mal para o animal e manchará a imagem da raça como um todo, gerando um estigma negativo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *