Como manter o animal saudável e protegido de doenças

A prevenção de um problema sempre é uma alternativa melhor do que lidar com as consequências, principalmente quando falamos em saúde do animal de estimação.

Conhecer seus cuidados é um grande passo para garantir o bem-estar animal. Por isso, é sempre importante relembrar as melhores medidas preventivas de doenças e demais complicações que afetam os bichinhos.

É essencial que a vacinação esteja sempre em dia

Essa é a maneira mais segura de evitar epidemias e contribuir para a qualidade de vida dos pets. Além disso, a carteira de vacinação de animais em dia é critério básico para que o pet possa frequentar espaços públicos, viajar e se hospedar em hotéis.

Vacinação em cachorros

Se tem dúvidas quanto à saúde pet e como funciona o calendário para a vacinação de cachorro, confira a idade certa e as doses recomendadas. Assim, você garante não só a vitalidade do amigo peludo, como também o bem-estar de outros animais:

  • A vacina de gripe intranasal deve ser aplicada a partir da terceira semana de vida, com repetição anual. No caso da gripe parenteral (subcutânea), a aplicação deve ser feita a partir de 6-8 semanas de vida. Revacinar após 2-4 semanas da 1º aplicação e depois anualmente;
  • A primeira dose de polivalente deverá ser realizada em filhotes entre a 6-8

semanas de vida, e então a cada 2–4 semanas até atingir 16 semanas de idade ou mais, segundo o guideline internacional de vacinação estabelecido pelo WSAVA,

  • A partir da 8º semana de vida o filhote pode receber as vacinas contra giárdia, respeitando o calendário de vacinação e não podendo interromper o cronograma das aplicações da vacina múltipla.
  • A partir da 12ª semana, a vacina contra a raiva poderá ser aplicada. O critério de aplicar duas ou mais vacinas em um mesmo dia será definido pelo veterinário mediante fatores observados em sua consulta.

No caso dos cães adultos sem histórico vacinal, eles deverão tomar: duas doses de múltipla com intervalo de 2-4 semanas, uma dose de gripe intranasal ou duas subcutâneas com intervalo de 2-4 semanas, duas doses de giárdia com intervalo de 2-4 semanas e uma dose de antirrábica.

A vacina polivalente para cachorro pode ser encontrada com os nomes de V8, V10, V11 e V12. Todas combatem as doenças adenovirose, cinomose, hepatite infecciosa canina, leptospirose, parainfluenza canina e parvovirose.

A diferença entre elas está na presença de outros sorovares para a bactéria leptospira, fazendo com que, por exemplo, a V12 tenha quatro agentes de lepitospira a mais que a V8. É importante destacar que a V12 não necessariamente é melhor que a V8.

Acontece que algumas regiões do país possuem propensão maior ou menor a determinados tipos de bactéria. Dessa forma, se você estiver em uma região cuja vacina V8 seja suficiente, não há necessidade de investir em uma opção mais completa.

Vacinação em gatos

Já o calendário para vacinação de gatos não funciona da mesma maneira que o de cães. Portanto, confira a idade certa e as doses necessárias para proteger a saúde pet do amigo peludo.

  • A vacina polivalente deve ser aplicada a partir de 6-8 semanas de vida com repetição anual. Além disso, gatos adultos sem histórico vacinal devem tomar duas doses de múltipla de polivalente com intervalo de 2-4 semanas e uma dose de antirrábica,
  • Já a vacina contra a raiva deve ser aplicada a partir da 12ª semana de vida do pet e reaplicada anualmente.

A vacina polivalente para felinos é conhecida como tríplice, ou V3, e previne o animal da panleucopenia, calicivirose e rinotraqueíte. Há, também, a vacina quádrupla (ou V4), que inclui a clamidiose, e a quíntupla (ou V5), que inclui a leucemia felina.

Siga o calendário de vacinação

Não é efetivo vacinar o animal depois que ele já contraiu determinada doença. Por esse motivo, é importante obedecer o calendário e impedir que o pet, enquanto não estiver vacinado, tenha contato com outros animais e faça passeios fora de casa.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.