Como detectar doenças no animal adulto?

Como detectar doenças no animal adulto? algumas doenças que não contam com vacina preventiva, e reforça a necessidade de atenção aos sintomas mais comuns

Doenças se tornam mais evidentes durante a fase adulta de cães e gatos. Para aqueles que estão devidamente vacinados (quando existe a vacina), a possibilidade é menor.

Para que você se torne capaz de detectar doenças no animal adulto, listamos os principais problemas e seus sinais.

Cães

Parainfluenza

O cão que está com Parainfluenza vai apresentar febre moderada, tosse sem catarro e um leve desânimo. Esse é um dos agentes de outras doenças, a tosse dos canis — que vamos abordar com mais detalhes à frente.

Em casos mais graves, nos quais o vírus associou-se a outros agentes, como adenovírus, bordetella e mycoplasma, o seu pet pode ter febre alta, falta de apetite e uma tosse que provoca dores. O cão será contaminado caso entre em contato com outro que esteja doente.

Raiva

Por ser uma doença infectocontagiosa aguda, capaz até de matar o pet, é imprescindível observar se ele não apresenta os principais sintomas: temperamento alterado e agressivo, paralisia e paresia.

Qualquer mamífero pode pegar a doença, que é causada pelo RNA-vírus. O contágio é feito por meio do contato com o animal doente e o modo mais comum é pela mordida.

O governo costuma realizar campanhas anuais de vacinação contra a raiva. Portanto, fique sempre de olho nas notícias para levar o seu pet em um dos centros de vacinação e, assim, deixá-lo protegido.

Coronavírus

Não tão comum quanto as outras doenças, o Coronavírus é contagioso e agudo, causando diarreias fortes no animal que está com a doença.

Ele é provocado pelo vírus epiteliotrópico, que provoca atrofia e destruição das pontas vilosas intestinais.

Leishmaniose

Essa é uma doença infecciosa provocada pelo parasita Leishmania. O modo de transmissão é pela picada do mosquito infectado, podendo afetar animais e humanos.

Os principais sintomas são úlceras na pele do animal e placas verrucosas. Em alguns casos, o pet pode ter os tecidos do focinho, laringe e faringe afetados. Já em casos nos quais a doença está em um estágio mais grave, o cão vai sofrer alterações no latido, dificuldade de respirar e de engolir e até morrer.

É importante ficar de olho, pois alguns cachorros não apresentam sinais visíveis, sendo necessária uma avaliação específica do veterinário. O diagnóstico é feito por meio de um exame de sangue e, felizmente, hoje em dia já existe tratamento para a doença.

Hepatite Viral Canina

Por afetar diretamente os rins e o fígado do pet, essa é uma doença que pode ter tanto sintomas mais leves quanto os mais graves — apesar do risco de mortalidade ser baixo.

Para identificar se o pet está com essa doença, observe se ele apresenta vômito amarelo-esverdadeado, diarreia, falta de ânimo, febre e alteração na coloração dos olhos (ele vai ganhar um tom azulado).

É indicado que o diagnóstico seja feito o quanto antes, pois, assim, o tratamento, que se resume em fortalecer o organismo do animal, vai ser mais eficiente.

Tosse dos Canis

Essa é uma doença muito comum em cães que frequentam canis e que entram em contato com outros cães.

Normalmente, ele pode vir a ter uma tosse seca, anorexia parcial, decorrente da falta de apetite, e vômito ou ânsia, já que ela inflama as vias áreas superiores.

O tratamento depende do estágio. Quando ainda é inicial, pode acontecer do cão se curar sozinho, sem a necessidade de tomar algum tipo de medicamento após 3 semanas.

Já quando a doença persiste, o veterinário deve receitar o uso de broncodilatadores ou antitússicos, corticosteroides e antibióticos.

Gatos

Otite

A inflamação de ouvido dos gatos costuma ser provocada por infecções, problemas com fungos ou parasitas ou ter origem seborreica.

É muito importante que o diagnóstico seja bem-feito, pois ele vai influenciar no tratamento adotado — enquanto alguns necessitarão tomar um antibiótico, outros deverão fazer a ingestão de um antiparasitário. Além disso, caso ela se agrave, pode desencadear uma meningite e uma infecção generalizada, sendo fatal.

Para evitar que o seu gato desenvolva uma otite, a limpeza da orelha deve ser feita com cuidado e sem ser muito profunda. Além disso, para aqueles que tomam banho, evite deixar que caia água nos ouvidos.

Os principais sintomas dessa doença são secreções saindo do ouvido, coceira frequente nas orelhas e o hábito de balançar a cabeça.

Clamidiose Felina

Espirros, rinite e febre são os principais sintomas da Clamidiose felina. Pode também desenvolver uma conjuntivite mucopurulenta ou persistente. Ela é provocada pela Chalamydia psittaci, que afeta todo o sistema respiratório do animal.

Ela é bastante contagiosa entre os felinos, o que torna importante diagnosticá-la ainda no início. É por meio de uma avaliação clínica que o veterinário vai identificar o problema. O tratamento pode envolver o uso de antibiótico, colírios, realizar uma limpeza minuciosa dos olhos do animal e anti-inflamatório.

Imunodeficiência Felina

Essa é uma doença virótica e que ataca diretamente os linfócitos do felino. O animal costuma se contagiar durante brigas, em que um morde o outro. O vírus costuma não provocar sintomas durante um tempo, que pode até mesmo durar anos. Por conta disso, quando a doença é identificada, o animal já pode ter desenvolvido diferentes infecções.

Infelizmente, a doença não tem tratamento para retirar o vírus do organismo do animal, sendo realizado apenas o controle e a profilaxia. Quando o felino tem essa doença, não é indicado que ele saia de casa ou entre em contato com outros animais. Também é recomendável castrá-lo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.